22 de jul de 2010

Defeito

Nunca mais consegui escolher meus sonhos. Cada vez aparece um diferente, estranho e que eu não gostaria de ter. Mas a emoção que, de vez em quando, me trazem é surpreendente!
Como eu fui desperdiçar aquela segunda chance?
Egoísmo, incompreensão, imaturidade.
Percebi que observo as pessoas ao meu redor crescerem muito mais do que eu. Bastou reparar nas dificuldades... Sejam nas atitudes ou pensamentos, tudo está em fase de equilíbrio.

Seja em sonho, nos remorsos da vida cotidiana ou nas fotos, o arrependimento se apresenta com uma força incrível. Como se cada momento queimasse minhas lembranças e as brasas permanecessem brilhando por um bom tempo.

Deveria ter tomado aquele sorvete e ignorado a fogueira.
Talvez fosse só uma mentira para sua liberdade.
Só eu saberei exatamente o que senti para me deixar assim.

E as distrações diárias ainda não garantiram a eutanásia.

Nenhum comentário: